Acelerador de partículas brasileiro consegue imagens de proteína do COVID-19

Imagem de referência
Foto de HenriquePostado por Henrique em 19/07/2020 09:43:19

O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), localizado em Campinas, São Paulo, é o responsável pela produção de luz síncrotron da América Latina. Com seu projeto, Sirius, um acelerador de partículas, conseguiram observar, em 3D, a estrutura de cristais de proteína do vírus COVID-19.


De modo básico, o acelerador de partículas, Sirius, acelera elétrons até velocidades próximas a da luz, fazendo com que emitam luz síncrotron (invisível ao olho humano). Ele é composto por um equipamento responsável pela produção dos elétrons e outro que os acelera. No Sirius também há um conjunto de ímãs potentes que deflete as partículas com alta energia e as focaliza, delimitando o caminho que os elétrons percorrem e assim os armazenando em um ambiente próprio por um longo período de tempo emitindo a luz síncrotron. Essa luz é a responsável para que os pesquisadores consigam analisar as estruturas de diferentes materiais.


Imagem de referência do post


A proteína analisada foi a 3CL (imagem abaixo), que é importante no processo de replicação do vírus dentro de um organismo. Esse estudo é de alta relevância, não só para o desenvolvimento científico do Brasil e para as possibilidades de trabalho que oferece no ramo, mas também para que seja possível o desenvolvimento de um medicamento para combater a pandemia que estamos vivendo na atualidade.

Imagem de referência do post


Para mais informações, visite: https://www.lnls.cnpem.br/

O que achou? Comente!