Astro de 'Jackass' Processa Estúdio, Diretor e Amigo Pessoal Após Sua Demissão Do Mais Novo Filme Da Franquia

Imagem de referência
Foto de Pedro SousaPostado por Pedro Sousa em 09/08/2021 16:04:30

Uma das estrelas da aclamada série 'Jackass', Brandon "Bam" Margera, que não será vista no mais novo longa da franquia, entrou com um processo contra o estúdio, o diretor e John Knoxville, a principal mente por trás do grupo. 

O novo filme tem previsão de lançamento para 3 de setembro, e isso está levantando um grande desafio jurídico sobre a saída de Margera da franquia. De acordo com uma queixa apresentada pelo skatisra, na segunda-feira (09), no Tribunal Superior de Los Angeles, os produtores violaram seus direitos civis quando o forçaram a assinar um “Acordo de Bem-Estar” e o demitiram das gravações do novo longa após um teste de drogas positivo.

Em sua defesa, Margera diz que sofre de deficiências físicas e mentais e que sua demissão equivale a uma discriminação ilegal. Em seu processo contra a Paramount Pictures, MTV Networks, Jeff Tremaine, Johnny Knoxville, Spike Jonze e outras entidades associadas, Mergera diz que foi diagnosticado com transtorno bipolar e transtorno de déficit de atenção.

o ator também admite uma história de abuso de álcool. Ele diz que está entrando e saindo da reabilitação desde 2009. Dois anos atrás, Mergera disse que estava em uma dessas instalações de reabilitação quando Tremaine, Knoxville e Jonze “o abordaram e o coagiram” a um acordo. O Acordo de Bem-Estar, como está sendo referido no processo aberto, permitia sua rescisão imediata caso ele: não soprasse em um bafômetro três vezes ao dia; não se submetesse a um exame de urina duas vezes por semana; não tivesse seus folículos capilares testados regularmente e não tomase os seus comprimidos todas as manhãs durante uma ligação de vídeo com um médico contratado pela Paramount.

O processo chama este acordo de "draconiano" e, ainda, possiu referências a "tortura psicológica", além de afirmar que o acordo é "legalmente inaplicável". Dito isso, a reclamação acrescenta:

Margera não cometeu um deslize. Ele seguiu as disposições do Acordo de Bem-Estar à risca, com grande custo pessoal. O tratamento de Margera pelos réus exacerbou seus problemas de saúde mental e o levou a pensamentos suicidas. Mesmo assim, Margera perseverou.

Segundo o ator, representado pelo advogado Eric George, o astro foi destituído depois que:

Um dos inúmeros testes de drogas a que Margera foi forçado a se submeter demonstrou que ele estava tomando o medicamento Adderall. Os réus sabiam muito bem que Margera tinha de tomar Adderall para tratar seu transtorno de déficit de atenção. Ele tomava esse medicamento há vários anos. Mas apesar de tudo isso, e sem nem mesmo dar a Margera a oportunidade de explicar, a Paramount o demitiu.

O processo alega que as ações dos produtores contra a Mergera foram uma violação do Unruh Civil Rights Act, do Fair Employment and Housing Act, da Califórnia, uma retaliação ilegal e uma dispensa ilícita em violação da política pública. Além disso, Mergera está processando os réus por quebrarem seu acordo para estrelar 'Jackass 4', além de induzi-lo de forma fraudulenta ao acordo.

O processo também inclui uma alegação bastante ousada de que o próximo filme constitui uma violação de sua propriedade intelectual (suas "ideias", no caso em tela, mesmo que as ideias não tenham direito à proteção de direitos autorais) e que ele merece um pedaço dos lucros. 

Na verdade, no processo, Mergera afirma que deveria receber os créditos por criar Jackass, o ator sustenta sua tese afirmando que a filmagem original da primeira temporada da série remonta ao seu grupo CKY Crew, antes de os outros participantes do grupo de Knoxville  embarcarem. O astro do skate afirma, ainda, que o Jackass teria sido "impossível" sem ele. Todavia, desde o seu início a franquia tem sido creditada a Tremaine, Knoxville e Jonze. 

Mergera está buscando uma liminar que proíbe o lançamento de 'Jackass 4' nos cinemas. Contudo, ao que os fatos indicam, isso é extremamente improvável de acontecer. Por conta disso, ele está exigindo uma indenização monetária, também.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Créditos da Imagem de capa: ALBERT L. ORTEGA/GETTY

Fonte:  THR

O que achou? Comente!