China e Rússia fazem acordo para base lunar

Imagem de referência
Foto de Lukas AraújoPostado por Lukas Araújo em 17/06/2021 23:57:51

A Estação Internacional de Pesquisa Lunar (ILRS) consistirá em uma estação espacial em órbita lunar, uma base na superfície da Lua e um conjunto de robôs exploradores e robôs "saltitantes" inteligentes, segundo representantes da agência espacial russa Roscosmos e da Administração Espacial Nacional da China (CNSA).

 

(Vídeo apresentando o projeto lunar no canal da Roscosmos)

 

No dia 16 de junho, o projeto foi anunciado na Conferência de Exploração Espacial Global (GLEX) em São Petersburgo, Rússia. Autoridades espaciais chinesas e russas disseram que já estavam em negociações com parceiros internacionais, incluindo a Agência Espacial Européia (ESA), a Tailândia, os Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita para se juntarem nas pesquisas.

A linha do tempo apresentada no fórum da GLEX prevê uma fase de reconhecimento que começará ainda em 2021. Em 2025, as agências espaciais escolherão um local para a base lunar, com construção prevista para ocorrer entre 2026 e 2035. O ILRS entrará em operação a partir de 2036, fornecendo várias instalações científicas e equipamentos para estudar a topografia, geomorfologia, química, geologia e estrutura interna da Lua, bem como permitir observações do espaço e da Terra da superfície lunar. Provavelmente também apoiará a exploração humana no futuro.

O vice-administrador da CNSA, Yanhua Wu, disse na conferência que estão atualmente se concentrando no desenvolvimento de tecnologia de exploração lunar robótica e não planejam enviar astronautas à Lua na próxima década. E por fim, Sergey Saviliev, vice-diretor geral de cooperação internacional da Roscosmos, disse na conferência que, embora a China e a Rússia ainda não tenham sido abordadas por nenhuma empresa privada, a natureza do projeto ISLR pretende ser inclusiva e aberta a todos os interessados.

O que achou? Comente!