Festival de Cannes Começa Com Confusões Sobre Testes da COVID-19

Imagem de referência
Foto de Pedro SousaPostado por Pedro Sousa em 06/07/2021 17:50:11

Na tarde desta segunda-feira (05), Olivia Wilson chegou de sua casa, no Tennessee, para o Festival de Cinema de Cannes, onde trabalhará como estagiária. Mas antes de poder desfrutar do festival de cinema mais vistoso, e que nunca falha em nos trazer confusões e controvérsias, do mundo, ela teve que cuspir várias vezes em um tubo de plástico para se certificar de que não tinha COVID-19.

Em Cannes, o teste de saliva será o método usado pelo Biogroup, laboratório contratado para combater a disseminação do vírus, para verficiar a existência do Sars-Cov 2 no organismo da pessoa testada. Mas, embora o processo não envolvesse enfiar um cotonete em suas narinas, não era tão fácil, segundo relatou Olivia.

 

Imagem de referência do post

(Teste PCR que está sendo usado em Cannes - Ramin Setoodeh)

 

“Foi difícil para mim”, disse ela. “Não consegui produzir saliva suficiente.” A estagiária estimou que teve de cuspir "mais de 15 vezes" antes de coletarem o suficiente para uma amostra.

O Festival de Cinema de Cannes está acontecendo essa semana, com uma lista formidável de cineastas, sendo que Spike Lee está como presidente do júri esse ano. No ano passado, pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial, o festival foi cancelado, devido à COVID-19.

Embora as taxas de infecção da pandemia tenham caído em quase todo o mundo, fruto dos esforços massivos de vacinação em massa, a variante Delta ainda produz preocupações, não pequenas, em todo o mundo. Para Cannes - um encontro que atrai cineastas e jornalistas de todo o mundo - isso gerou novas complicações.

As leis francesas exigem que aqueles que se reúnem em ambientes fechados estejam vacinados ou apresentem um teste PCR negativo. Mas devido às limitações do aplicativo que o governo francês usa, e que permite aos cidadãos, da União Europeia, mostrar que foram vacinados, aqueles que vêm para Cannes de países fora do sistema de rastreamento da COVID-19 da UE, não terão o código de barras, que o aplicativo usa para confirmar a vacinação, para mostrar que foram vacinados.

Assim, eles serão essencialmente tratados como se não tivessem sido vacinados. A exigência gerou muita confusão - e inúmeras reclamações - por parte de algumas pessoas no festival.

De acordo com as regras mais recentes, os participantes não europeus em Cannes precisarão ser testados para COVID a cada 48 horas, para entrar no prédio onde produtores montam mesas para comercializar seus filmes, e estrelas de cinema entram pela porta dos fundos para fugir das conferências de imprensa.

Os testes de saliva para COVID foram elogiados por sua eficácia e eficiência, com alguns tecendo elogios ao fato de serem menos invasivos do que os que precisam de colocar cotonetes pelo nariz. Os testes por saliva exigem menos técnicos, também, pois aqueles que estão sendo testados podem coletar suas próprias amostras.

Contudo, nem tudo são flores. Horas antes do lançamento do festival na terça-feira (06), a cena no improvisado centro de testes da COVID, a poucos passos de onde os filmes de Cannes estreiam, era o oposto do glamour. Os participantes do festival foram conduzidos a uma grande sala que tinha todo o brilho de um centro de votação.

Eles receberam um recipiente de plástico, junto com um funil onde foram instruídos a mirar sua saliva, enquanto estavam atrás de uma divisória, a qual garantia o distanciamento social. Alguns, porém, erraram, cuspindo no chão ou em suas própria roupas.

“Tem que ser líquido”, instruiu um funcionário do laboratório. “Baba não conta”. Suspiros audíveis de frustração foram ouvídos entre os que esperavam na fila quando perceberam quanta saliva o laboratório precisava. Os presentes que não produziram amostra suficiente foram mandados de volta, para cuspir um pouco mais.

E havia outras razões para se ser chamado uma vez mais, ou para ter desqualificada a coleta. Um repórter da Variety testemunhou um frasco de amostra sendo descartado, porque alguém cuspiu um pedaço de comida, contaminando àquela. Todavia, essa precaução já deveria ter sido tomada por quem forneceu a saliva, uma vez que as instruções do Biogroup aconselham a: não comer, beber ou escovar os dentes no 30 minutos anteriores à coleta das amostras 

 

Imagem de referência do post

(Instruções do laboratório para a coleta de amostras para o teste PCR em Cannes - “É recomendável que você não coma, beba, fume ou escove os dentes nos 30 minutos [antes] da amostragem.” - Ramin Setoodeh)

 

“Achei o teste realmente nojento”, disse uma pessoa que participou do processo. Porém, como em quase tudo há dois lados, outros, que também fizeram o teste, elogiaram o festival por criar um sistema de teste que tinha filas curtas e instruções simples, mas que, ainda sim, foram descumpridas.

O que achou? Comente!