NASA anuncia duas novas missões para Vênus

Imagem de referência
Foto de Lukas AraújoPostado por Lukas Araújo em 03/06/2021 23:06:06

No dia 2 de junho, a NASA anunciou duas missões para Vênus. Como parte do Programa de Descoberta da NASA, as missões visam entender como Vênus se tornou um mundo infernal. Mesmo tendo tantas características semelhantes à Terra, é necessário entender como se tornou inabitável. Além de desvendar se foi o primeiro planeta habitável no sistema solar, completo com um oceano e clima estável.

A NASA está concedendo cerca de 500 milhões de dólares por missão para o desenvolvimento. Espera-se que cada um seja lançado no período entre 2028 e 2030.

“Estamos acelerando nosso programa de ciência planetária com intensa exploração de um mundo que a NASA não visita há mais de 30 anos”, disse Thomas Zurbuchen, administrador associado da NASA para a ciência.

 

DAVINCI+ (Deep Atmosphere Venus Investigation of Noble gases, Chemistry, and Imaging)

A missão medirá a composição da atmosfera de Vênus para entender como ela se formou e evoluiu, bem como determinar se o planeta já teve um oceano. A missão consiste em uma esfera descendente que mergulhará na espessa atmosfera do planeta, fazendo medições precisas de gases nobres e outros elementos para entender por que a atmosfera de Vênus é uma estufa descontrolada em comparação com a da Terra.

Além disso, o DAVINCI + retornará as primeiras imagens de alta resolução das características geológicas únicas de Vênus conhecidas como "tesselas", que podem ser comparáveis ​​aos continentes da Terra, sugerindo que Vênus tem placas tectônicas. Esta seria a primeira missão liderada pelos EUA à atmosfera de Vênus desde 1978, e os resultados poderiam remodelar nossa compreensão da formação de planetas terrestres em nosso sistema solar e além. James Garvin, do Goddard Space Flight Center em Greenbelt, Maryland, é o coordenador da missão.

 

VERITAS (Venus Emissivity, Radio Science, InSAR, Topography, and Spectroscopy)

A missão mapeará a superfície de Vênus para determinar a história geológica do planeta e entender por que ele se desenvolveu de forma tão diferente da Terra. Orbitando Vênus com um radar de abertura sintética, ela irá mapear as elevações da superfície de quase todo o planeta para criar reconstruções 3D da topografia e confirmar se processos como placas tectônicas e vulcanismo ainda estão ativos em Vênus.

O projeto também mapeará as emissões infravermelhas da superfície de Vênus para mapear seu tipo de rocha, que é amplamente desconhecido, e determinar se vulcões ativos estão liberando vapor de água na atmosfera. Suzanne Smrekar, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, no sul da Califórnia, é a coordenadora da missão. O Centro Aeroespacial Alemão fornecerá o mapeador infravermelho e a Agência Espacial Italiana e o Centre National d'Etudes Spatiales da França, contribuirão para o radar e outras partes da missão.

O que achou? Comente!