O helicóptero Ingenuity faz um marco histórico para humanidade

Imagem de referência
Foto de Lukas AraújoPostado por Lukas Araújo em 26/04/2021 11:23:10

Na segunda-feira, o helicóptero Ingenuity da NASA se tornou a primeira aeronave da história a fazer um voo motorizado e controlado em outro planeta. A equipe, responsável pelo projeto do Jet Propulsion Laboratory da agência no sul da Califórnia, confirmou o sucesso do voo após receber dados do helicóptero pelo explorador Perseverance. 

 

O desafio

 

A atmosfera em Marte é extremamente rarefeita, é cerca de 1% da densidade da atmosfera na Terra. Com isso, a propulsão por hélices torna-se um desafio neste planeta. Por outro lado, a gravidade é cerca de três vezes menor do que a nossa e é isto que torna essa sustentação possível.

Para aguentar esse desafio, o Ingenuity é projetado para ser leve com apenas 1,8 kg, com pás do rotor muito maiores e que giram muito mais rapidamente. Ele possui quatro lâminas de fibra de carbono com 1,2 metros de comprimento. Estas estão dispostas em dois rotores de contra-rotação que giram a cerca de 2400 rpm, cerca de oito vezes mais rápido que um helicóptero padrão na Terra. Além de que possui inovadores equipamentos preparados para suportar a alta variação de temperatura. Como células solares, bateria, sensores, telecomunicações, câmeras e IA de navegação autônoma. Mas muitos de seus outros componentes são peças comerciais prontas para uso no mundo da tecnologia. 

 

 

O sucesso

 

O helicóptero movido a energia solar decolou pela primeira vez às 4:34, uma hora que a equipe do projeto determinou que teria energia e condições de voo ideais. Os dados do altímetro indicam que a aeronave subiu até sua altitude máxima prescrita de 3 metros e manteve um pairar estável por 30 segundos. Em seguida, desceu, tocando de volta na superfície após registrar um total de 39,1 segundos de voo. 

 

 

A demonstração inicial de voo do Ingenuity foi autônoma, ou seja, pilotada por sistemas de orientação, navegação e controle a bordo, executando algoritmos desenvolvidos pela equipe do JPL. Como os dados devem ser enviados e devolvidos do Planeta Vermelho ao longo de centenas de milhões de quilômetros usando satélites em órbita e a Deep Space Network da NASA, o Ingenuity não pode ser pilotado com um joystick e seu voo não foi observado da Terra em tempo real.

A gravação do teste só foi possível porque o Perseverance estava estacionado a cerca de 64,3 metros de distância. Durante o primeiro voo histórico do Ingenuity, o explorador não apenas atuou como um retransmissor de comunicação entre o helicóptero e a Terra, mas também registrou as operações de voo com suas câmeras. As imagens dos sensores Mastcam-Z e Navcam do veículo fornecerão dados adicionais sobre o voo do helicóptero.

O que achou? Comente!