O leilão do 1º 5G da América Latina

Imagem de referência
Foto de Lukas AraújoPostado por Lukas Araújo em 23/11/2021 21:10:32

Nos dias 4 e 5 de novembro, o maior leilão de radiofrequências da América Latina foi realizado pelo Ministério das Comunicações (MCom) e Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Até então, 85% das faixas de radiofrequência disponibilizadas foram compradas, o que arrecadará R$ 47,2 bilhões para o Governo.

 

O que é 5G?

 

 

O 5G é um novo tipo de rede projetada para conectar praticamente tudo, desde máquinas a celulares. É um novo padrão global de rede que elevará a experiência IoT (Internet das Coisas) para o próximo nível.

Essa tecnologia foi projetada para fornecer velocidade de pico 500% mais alta que o 4G, latência ultrabaixa, mais confiabilidade, capacidade de rede massiva, maior disponibilidade e uma experiência de usuário mais uniforme para mais usuários.

 

Qual o impacto do 5G no mundo?

 

Um estudo divulgado pela Qualcomm avalia o impacto do 5G no mundo até 2035, analisando o comportamento econômico das redes anteriores. Segundo essa pesquisa, essa tecnologia tem o impacto de gerar até 13,1 trilhões de dólares de produção econômica global.  O estudo estipula trilhões de dólares sem contar toda a tecnologia IoT emergente e aplicações futuras que a nova rede pode impulsionar, então só o tempo dirá qual será o “efeito 5G” total na economia.

Além disso, a pesquisa também revelou que a cadeia de valor 5G, incluindo OEMs (Fabricante Original do Equipamento), operadoras, criadores de conteúdo, desenvolvedores de aplicativos e consumidores, poderia sozinha suportar até 22,8 milhões de empregos.

 

Quais os próximos passos no Brasil?

 

Segundo Fábio Faria, ministro das Comunicações, foram empregados 15 meses para elaboração do edital do 5G que agrega tanto o leilão quanto às obrigações assumidas pelas empresas vencedoras. Dentre essas obrigações, as empresas devem: 

  • Levar cobertura 5G a todas as capitais e cidades com mais de 30 mil habitantes;
  • Garantir internet 4G nas rodovias federais e localidades ainda sem conexão;
  • Implantar rede de fibra óptica em locais com pouca ou nenhuma infraestrutura de conectividade; 
  • Implantar o Programa Amazônia Integrada e Sustentável (PAIS) e o projeto da rede privativa de comunicação da Administração Pública Federal; 
  • Custear a migração da TV parabólica para TV via satélite; 
  • E investir em projetos de conectividade em escolas.

Além disso, o edital possui metas fixadas ano a ano. As primeiras vencem em julho de 2022, quando todas as capitais brasileiras devem ter cobertura 5G. Já em 2028, a meta é para cobertura de todas as cidades do país.

 

Foto de capa: Isac Nóbrega/PR - (Brasília - DF, 04/11/2021) Leilão 5G.

 

O que achou? Comente!