Reino Unido Anuncia Pacote de Mais de 1 Bilhão de Euros Para Estabelecimentos Afetados Pela Nova Onde de COVID-19

Imagem de referência
Foto de Pedro SousaPostado por Pedro Sousa em 21/12/2021 17:12:58

O Chanceler do Tesouro do Reino Unido, Rishi Sunak, revelou um plano de 1 bilhão de libras (7.6 Trilhões em reais ) projetado para ajudar as empresas afetadas pela variante Omicron do coronavírus que está varrendo o país.

Negócios nos setores de hotelaria e lazer na Inglaterra serão elegíveis para subsídios únicos de até 6.000 libras (45.681 reais) por estabelecimento. Os destinatários devem ser empresas contribuintes do setor de hotelaria e lazer. Os candidatos elegíveis incluem cinemas, pubs, hotéis, restaurantes e parques de diversões. Este benefício terá um valor total de 683 milhões de libras (5.2 bilhões de reais).

O governo também está alocando um adicional de 100 milhões de libras (7.6 bilhões) para as autoridades locais, que terão o poder de alocar este financiamento para as empresas mais necessitadas.

Um financiamento adicional de 30 milhões de libras (2.2 bilhões) será disponibilizado por meio do Fundo de Recuperação de Cultura existente para apoiar organizações como teatros, orquestras e museus durante o inverno até março de 2022.

O número cada vez maior de casos da COVID-19 significa que mais trabalhadores estão se afastando do trabalho, por isso o governo também está reintroduzindo o Esquema Estatutário de Desconto por Doença, que ajudará empregadores de pequeno e médio porte com menos de 250 funcionários, reembolsando-os pelo custo do auxílio prestado pela empresa ao trabalhador doente.

O chanceler pronunciou dizendo:

“Reconhecemos que a disseminação da variante Omicron significa que as empresas nos setores de hospitalidade e lazer estão enfrentando uma enorme incerteza, em um momento crucial. Então, estamos entrando em ação com 1 bilhão (de libras) de apoio, incluindo um novo esquema de subsídios, a reintrodução do Esquema Estatutário de Desconto para Doença e mais financiamento liberado por meio do Fundo de Recuperação de Cultura. Em última análise, a melhor coisa que podemos fazer para apoiar as empresas é manter o vírus sob controle"

Enquanto isso, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse que não haverá fechamentos antes do Natal, mas se recusou a descartar as restrições após o feriado.

“O que posso dizer esta noite é que, naturalmente, não podemos descartar quaisquer outras medidas após o Natal - e vamos manter um olho constante nos dados e faremos o que for necessário para proteger a saúde pública. Mas, em vista da incerteza contínua sobre várias coisas - a gravidade da Omicron, a incerteza sobre a taxa de hospitalização ou o impacto do lançamento da vacina ou da dose de reforço, não pensamos hoje que haja evidências suficientes para justificar quaisquer medidas mais duras antes Natal ”, afirmou Johnson.

O que achou? Comente!