Supercomputador Fugaku

Imagem de referência
Foto de Lukas AraújoPostado por Lukas Araújo em 15/08/2020 13:53:45

O supercomputador Fugaku do Japão completa a primeira varredura de benchmarks de alto desempenho e torna-se oficialmente o mais potente do mundo. A parceria público-privada Fujitsu e o instituto nacional de pesquisa RIKEN colocaram o Japão no topo do ranking mundial de supercomputadores há nove anos com o computador K. Este ano, eles fizeram isso de novo com o projeto desenvolvido em conjunto.



Conceitos Técnicos


Para iniciar a leitura das análises nessa publicação, é preciso entender alguns conceitos do mundo da computação. 

Benchmark é a execução de programas para comparar performance e desempenho de um objeto que tem a capacidade de processamento computacional. Existem diversos programas para a execução do benchmark, entre eles está o Linpack. Este é uma biblioteca de programas para executar álgebra linear numericamente em computadores. E foi implementado para a lista TOP500, chamada HPL (High Performance Linpack). No qual compara e classifica supercomputadores através de quantos cálculos por segundo o computador realiza.

Sendo o mais simplista possível, o Fugaku é um conjunto em rede de 400 racks que são uma estrutura metálica especialmente desenvolvida para acomodar componentes. Cada rack tem uma estrutura desenvolvida para acomodar e suportar em torno de 400 processadores, chamados de nós. Além de que os racks funcionam como computadores individuais. Assim, o supercomputador é um conjunto massivo de computadores para processamento em conjunto.  


Imagem de referência do post



O Computador


Fugaku, outro nome do Monte Fuji, está no topo da lista TOP500 anunciada em 22 de junho. Ele ganhou o primeiro lugar com um desempenho extraordinário de 415 petaflops. Sua velocidade é aproximadamente 2,8 vezes maior do que a do norte-americano Summit do Oak Ridge National Lab no Tennessee, construído pela IBM. Atual segundo colocado na lista com 148,6 petaflops. Lembrando que um pentaflop corresponde a um trilhão de operações por segundo. Fugaku conseguiu isso usando 396 racks que empregam 152 064 nós A64FX. Os componentes representam cerca de 95% dos quase 159 000 nós do computador. Ou seja, ainda tem muito potencial para alcançar com seu uso total.

 


Além de demonstrar velocidade mundial, Fugaku venceu a concorrência no benchmark High Performance Conjugate Gradients (HPCG) usado para testar o desempenho de aplicativos do mundo real; o Graph500, uma classificação para cargas intensivas de dados; e o HPL-AI, uma referência para classificar cargas de trabalho de inteligência artificial. Um protótipo do processador A64FX também conquistou o primeiro lugar para o sistema mais eficiente em energia na lista Green500 em novembro do ano passado, alcançando uma excelente eficiência de energia de 16,9 gigaflops por watt durante uma execução de desempenho de Linpack de 2,0 Pflops por segundo.


Você encontrará as especificações e dados mais técnicos no link Fugaku.

As imagens utilizadas nessa publicação foram feitas pela RIKEN.

O que achou? Comente!