Warp Drive: uma viagem ao estilo Stark Trek

Imagem de referência
Foto de HenriquePostado por Henrique em 30/08/2020 21:32:09

Você talvez não seja fã de Star Trek ou Star Wars, mas com certeza já ouviu falar dessas ficções. Sabe aquelas viagens com a Enterprise ou a Millennium Falcon que são super rápidas, em velocidades mais altas que a da luz? Pois é, muitas pessoas se perguntam se isso é realmente possível. E, adiantando, a resposta é sim! Esse tipo de viagem é totalmente possível.

 

Antes de falar o porquê de ser possível, devemos voltar um pouco no tempo. Um pouco mais de 100 anos atrás, em 1915 para ser mais específico, o famoso físico Albert Einstein publicou a Teoria Geral da Relatividade. Essa teoria é a nossa melhor descrição de como a gravidade funciona. De forma básica, ela diz que a gravidade é um resultado puramente da curvatura do espaço-tempo. Agora você deve estar se perguntando: o que diabos é espaço-tempo? Bom, nós vivemos no Universo e dizemos que estamos no espaço e que existe um tempo passando, porque as coisas envelhecem, certo? A Relatividade Geral é uma teoria que unifica as duas coisas. O espaço e o tempo deixam de ser coisas separadas e viram uma só: o espaço-tempo. É exatamente isso, nós vivemos em uma única coisa chamada espaço-tempo, que estão totalmente ligadas. Agora imagine que o espaço-tempo é um tecido que pode ser esticado, encolhido e dobrado. O que aconteceria se colocássemos uma esfera maciça bem pesada no centro desse tecido? Obviamente a esfera iria afundar no tecido, fazendo com que o tecido ficasse curvado. A seguir, pense que jogamos várias bolinhas pequenas no tecido. Elas irão começar a girar em torno da esfera, que é exatamente o que acontece com os planetas orbitando o Sol e várias outras coisas. Pronto, aí está a gravidade!

Imagem de referência do post

Okay, agora avançando no tempo, vamos para 1994. Neste ano, um físico mexicano, chamado Miguel Alcubierre, fã de Star Trek, publicou um artigo mostrando resultados usando a Relatividade Geral em que mostra que é possível viajar como na ficção. Todos os seus cálculos são matematicamente consistentes. O resultado de Alcubierre diz que para conseguirmos viajar pelo Universo à velocidades maiores que a da luz, temos que ter uma nave espacial capaz de contrair o espaço-tempo à sua frente e expandi-lo na parte de trás. Fazendo isso, é como se estivéssemos trazendo os objetos que estão na nossa frente para nós, ao invés de irmos até eles. O próprio espaço-tempo (o tecido que foi mencionado anteriormente) estaria se movendo, e não nós que estaríamos nos movendo por ele. Tal feito faria ser possível viajarmos em velocidades altíssimas, sendo viável visitarmos galáxias e planetas distantes em apenas algumas horas ao invés de milhões de anos.

Imagem de referência do post

O único problema é que para fazermos tudo isso precisamos de um tipo de matéria e energia especiais, chamados de matéria e energia exótica. Também é necessário uma teoria quântica da gravitação, o que ainda não temos. Agora, o que nos resta é esperar. Porém, fique feliz em apenas saber que viajar como em Star Trek é possível! Imagine atravessar o Universo em aventuras incríveis visitando diferentes planetas e galáxias.

Se quiser saber mais sobre Warp Drive, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=Imi8-rCicaQ&t=325s

O que achou? Comente!